O que é Inteligência Competitiva e de Mercado?

Mas afinal, o que é Inteligência Competitiva e de Mercado (IC&M), que alguns chamam de Inteligência de Mercado e outros de Inteligência Competitiva? Trata-se de um processo de coleta e análise de dados e percepções de mercado que gera informações relevantes para serem utilizadas na tomada de decisão estratégica de uma empresa ou instituição.

Não raro, um gestor sente a necessidade de mais informação, de algo que dê suporte ao seu processo de tomada de decisão, mas não sabe que precisa de Inteligência Competitiva e de Mercado. A disciplina ainda é relativamente nova: surgiu nos anos 1980 nos EUA e só recentemente, nos anos 2000, começou a popularizar-se no Brasil. De início, ficou restrita a grandes empresas, especialmente multinacionais, que já aplicavam o conceito em suas matrizes e o trouxeram para as filiais brasileiras.

Hoje, há um número bastante grande de empresas nacionais usando IC&M no seu dia a dia, quer seja com equipes internas ou lançando mão de empresas de consultoria. Mas não é exatamente o tipo de técnica de gestão que se saia alardeando por aí: a Inteligência perde um pouco da eficácia se os concorrentes souberem que uma empresa a está empregando.

Peças de quebra cabeça espalhadas
Dados e informações obtidas com Inteligência são as peças que vão montar uma imagem clara do ambiente competitivo.

Simplificando o conceito

Deixando os conceitos acadêmicos de lado, Inteligência é qualquer atividade que – ao coletar, compilar e analisar informações – ajude o processo de tomada de decisão estratégica de uma empresa ou instituição. Ou seja: toda empresa já pratica um pouco de Inteligência Competitiva e de Mercado.

Porém, como toda atividade, quando é realizada com metodologia, técnica e organização, ganha em eficiência e eficácia. Aí é que entram os conceitos, modelos, métodos e técnicas que a Link aplica em suas atividades de IC&M. Nós não fornecemos informação bruta, clipping ou pesquisas de mercado. Vamos além: cotejando informações e dados de diferentes fontes, criando contextos relevantes para os clientes e gerando análises de valor, que vão se transformar em decisões e resultados concretos.

Todas as áreas da empresa precisam de informação confiável

Praticamente todas as áreas de uma empresa podem se beneficiar das atividades de Inteligência. Desde a área de marketing, que pode ajustar o lançamento de um produto conforme as mudanças de comportamento dos clientes e concorrentes, até o setor de desenvolvimento, que pode empregar novas matérias-primas a partir de informações obtidas com fornecedores. Isso sem falar da inserção em novos mercados, fusões, aquisições e informações financeiras – câmbio, bolsa, índices, tendências – que impactam em toda a estratégia da empresa.

Para isso a Inteligência Competitiva e de Mercado reúne informações primárias ou secundárias, buscando como fontes os concorrentes, os consumidores, os fornecedores, o mercado financeiro, os pesquisadores e outros. Essas informações podem ter como finalidade uma decisão única de uma empresa, como a de definir um país para a internacionalização, ou fazer parte de um monitoramento permanente para se manter à frente dos concorrentes e detectar sinais fracos.

Em suma, quando uma empresa precisa compreender melhor um novo mercado, planejar seu desenvolvimento tecnológico para o futuro próximo, entender o impacto da economia em seus negócios ou descobrir os próximos movimentos da concorrência, é à Inteligência Competitiva e de Mercado que ela recorre. É isso que fazemos aqui na Link Estratégia.

Outros posts

04

jun
Inteligência Competitiva e de Mercado, Inteligência descomplicada, Tendências, Todos os temas

De olho nas tendências e oportunidades na cadeia de suprimentos

É preciso olhar além do óbvio quando se analisa o impacto das tendências de mercado na cadeia de suprimentos. Esse tipo de análise pode revelar oportunidades e riscos que de outra maneira passariam despercebidos

quais devem ser as ações da empresa na gestão de uma crise

25

abr
Audiência, Audiência, Comunicação, Comunicação organizacional, Consumidor, Gerenciamento de crise, Marketing

O que a Kellogg’s não fez para evitar a crise e o boicote nos EUA?

Atualmente a Kellogg’s é alvo de uma campanha de boicote dos seus produtos nos Estados Unidos. Tudo começou com uma entrevista do CEO que gerou muitas críticas. Sem uma resposta adequada da empresa, que ignorou as reações, a fala do CEO resultou em uma crise. Boa oportunidade para analisarmos quais deveriam ser as ações da Kellogg’s na gestão da crise.