Como a necessidade de ser relevante vai mudar o marketing e o jornalismo?

Previsões para 2024? Ainda? Simmmm. Devemos aproveitar esse marco temporal, entre o fim de um ano e o começo de outro, para reunir e comparar opiniões dos diversos profissionais. Como muitos estão começando o ano com força após o carnaval aproveito para trazer nossa análise de tendência para marketing e comunicação.

Se for para resumir em uma palavra a tendência para o marketing e a comunicação neste ano eu escolheria “relevância”. Não é uma novidade, porém em 2024 ser relevante será um ponto chave para o marketing, a comunicação organizacional e o jornalismo.

A atenção da audiência vive em constante mudança. E os movimentos dos anos anteriores mostram que a tendência é de uma audiência ainda mais exigente e que dedica sua atenção a quem trouxer algo relevante para sua vida.

No marketing, para ter a atenção dos consumidores, as empresas deverão focar menos em elogiar o produto e mais em oferecer informações úteis. Os consumidores ouvirão quem eles entenderem como uma autoridade no assunto. Conhecer, entender e encontrar a voz para se comunicar serão essenciais para se conectar com seu público.

Em 2024 os consumidores dedicarão seu tempo ao que for relevante para suas vidas

Com o excesso de informação e a escassez de tempo o consumidor deve dar preferência a informações rápidas, que vão direto ao ponto. Até o YouTube se rendeu à pressão do tempo com o YouTube Shorts.

Um exemplo de como a mudança no comportamento dos consumidores está influenciando as estratégias de marketing é o interesse pelos nano influenciadores. Trabalhar com influenciadores com menor número de seguidores pode trazer benefícios para as marcas. Apesar de não terem tantos seguidores os nano influenciadores podem compensar com a autenticidade e a qualidade da conexão com seus seguidores, gerando mais engajamento.

No jornalismo, os modelos de negócio com bons resultados estão seguindo estratégias do marketing voltado para o consumidor. Para manterem-se relevantes os jornalistas começaram a adequar técnicas de marketing e publicidade tornando a notícia mais atraente. Assim, o jargão jornalístico agora também inclui termos como pitch, engajamento e métricas.

Jornalistas que antes brigavam pela manchete na capa de jornal agora disputam espaço nas mídias sociais. Os modelos de negócio que são exemplos de sucesso estão relacionados com o conhecimento e conexão com a audiência, resultando na entrega de produtos desejados por ela.

É interessante observar como nesse processo os limites entre marketing e jornalismo vão se tornando mais tênues. Pesquisas mostram que profissionais de marketing, RP, publicidade e jornalismo não observam mais uma diferença tão proeminente entre as atividades que exercem em suas funções.

Enquanto o jornalismo aplica estratégias de marketing para conquistar seu público, o marketing e a comunicação organizacional devem envolver as habilidades de profissionais de diversas áreas. Um dos grandes desafios dessas equipes é alinhar seus diferentes objetivos, cada um puxando para sua área e definir uma linguagem comum. Para encerrar, é bom lembrar que o foco nas tendências não deve durar somente entre o período de final de um ano e início de outro. Quem quer estar à frente da concorrência tem que estar sempre revendo suas previsões.

Ainda sobre esse assunto:

Confira as tendências de mudança na forma como vemos TV

Outros posts